Sexta, 20 de Outubro de 2017



Entrada gratuita. Evento técnico. Proibida a entrada de menores de 16 anos, mesmo acompanhados de seus responsáveis.

Em sua terceira edição, feira de autopeças atraiu milhares de visitantes ao pavilhão do Riocentro


LEGENDA: Corredores do Riocentro durante a terceira edição da Rioparts: otimismo e perspectiva de crescimento.

Consolidada como a única feira de autopeças no país a ser realizada no segundo semestre, a Rioparts – Feira Internacional da Indústria de Autopeças e Reparação Automotiva – alcançou entre os dias 3 e 6 de outubro, data da terceira edição do evento, posição privilegiada no cenário de eventos fluminense.

De acordo com a Diretriz, empresa organizadora da Rioparts, a feira reuniu cerca de 200 marcas expositoras para um público calculado em milhares de pessoas. Do total de expositores, 86% eram provenientes das regiões Sul e Sudeste, duas das regiões que concentram uma frota circulante de 40 milhões de veículos para um universo de 60 milhões no país.

De acordo com Cassio Dresch, diretor comercial da Diretriz, mesmo com todo o otimismo verificado, é prematuro fazer uma avaliação sobre os contratos fechados pelas empresas nos quatro dias do evento.

“A Rioparts revelou-se o local ideal para o que o setor de autopeças e de reparação automotiva ganhe fôlego em um setor cada vez mais competitivo, mas o montante de negócios só virá com o tempo”, afirmou.

O presidente da Comissão Organizadora da Rioparts, André Renato Ferreira Dias, disse que a feira encerra um ciclo de aprendizado de parte dos empresários que estiveram à frente da organização e abre novas perspectivas para 2014, quando a Rioparts estará em sua quarta edição.

A Rioparts promoveu ainda uma ampla campanha ambientalista, encabeçada pela Diretriz e pela Consultoria Rio Rally, incentivando a instalação de oficinas mecânicas “verdes” – que seguem normas de proteção ao meio ambiente – e adotando espaços públicos localizados em áreas degradas da capital.Dias destacou a presença do setor de pesados que, segundo ele, traduziu o mercado voltado para caminhões, tratores e carretas no Rio de Janeiro. “Nós estivemos muito bem representados no segmento. Consultei o empresariado e o que ouvi foi que todos se mostraram satisfeitos com o tamanho da feira e também com o que ela exibiu”.

Quatro montadoras e 50 empresas do segmento estudam também a possibilidade de abrir fábricas na região, o que garantiria a geração de 22,5 mil novos postos de trabalho nos próximos seis anos, de acordo com avaliação da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).O Rio de Janeiro espera um “boom” no setor de automotivos para os próximos anos. Desde a instalação da montadora Nissan, em Resende, polo automotivo fluminense, a expectativa do setor empresarial é gerar cerca de 20 mil empregos a curto e médio prazo. Os investimentos totalizam, em uma primeira etapa, cerca de R$ 300 milhões.

O estudo Decisão Rio 2012-2014, encomendado exatamente pela Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), prevê investimentos de R$ 211,5 bilhões no estado no período de apenas dois anos – 19% desse total vêm da indústria de transformação.

Apenas o setor automotivo somará R$ 6 bilhões em investimentos neste período. Além da Nissan, movimentarão a economia fluminense a duplicação da Peugeot-Citröen, em Porto Real, e a ampliação da fábrica de caminhões da MAN-VW, também em Resende.











Quero Visitar

Catálogo de Expositores

Newsletter






Publicidade





Promoção


(41) 3075-1100

Conheça a Diretriz

Twitter

Loading..

Redes Sociais